séries

Assisti & recomendo: The Fosters


Um dos motivos pra eu sempre começar a ver uma série é porque em alguma delas há um casal que todo mundo ama, ou um personagem que a galera da internet não para de comentar ou porque aborda um tema polêmico. E não foi diferente com The Fosters, que eu comecei a assistir por conta de um casal de jovens gays (que na temporada que eu estou ainda não é um casal) e também porque foi a primeira série americana à abordar a homossexualidade com personagens tão jovens (13 anos).

Mas The Fosters vai muito além que a sexualidade. A série narra a vida da família Foster, que é composta por duas mulheres, Stef e Lena, e seus filhos biológicos e adotivos. Stef é uma policial e foi casada com um de seus colegas de trabalho, o Mike com quem teve seu filho Brandon. Depois de viver uma vida que não era totalmente dela, dado em conta que é lésbica, ela se envolve num romance com uma educadora, a Lena. As duas começam a morar juntas e pra ter uma grana extra aceitam crianças que não podem ficar em orfanatos, ou seja, a casa dela é basicamente um lar temporário para crianças abandonadas. 

As duas tem como filhos adotados a Mariana e o Jesus, que são um casal de gêmeos que foram abandonados por uma mãe drogada. A primeira temporada começa com Lena levando mais uma criança para sua casa, no caso Callie, uma menina que se meteu numa confusão e acabou sendo mandada para o reformatório (cadeia dos menores de idade), porém cumpriu sua pena e precisava de um lar. Acontece que Callie tem um irmão (Jude) e que ainda está em custódia de um cara bem escroto e que abusa dele (não sexualmente falando). Ou seja, a menina já chega na casa nova trazendo problemas pois faria de tudo pra ajudar seu irmãozinho de treze anos.
Imagens: Google

Alguns personagens que precisamos ressaltar e minhas impressões sobre a 1ª e 2ª temporada:

Stef e Lena: Eu já comecei amando essas duas mulheres pela força que tem de criarem crianças e adolescentes que não tem um lar, sabe? Ambas atuam como o famoso papel de bad and good cop - ao pé da letra, policial bonzinho e mal. Stef é aquela mãe mais rígida, mais dentro das leis (não que a Lena não seja) e que toma as atitudes mais pela razão e pelos fatos. Lena já é a parte mais amorzinho do casal, que toma atitudes não só pelos fatos mas com o coração, e é aquele tipo de mãe que se a outra não deixar sair, você pode perguntar pra ela e ela deixa. Mais uma coisa linda que devemos ressaltar no casal é a luta não só feminista que ambas passam em todos os episódios, mas também o racismo que Lena sofria e sofreu e que é mostrado em alguns episódios.

Callie e Jude: Eu ainda estou finalizando a segunda temporada e já posso dizer que Callie não me representa hahaha. Sabe aquele personagem chato e que só faz cagada, tipo, em todos os episódios? Essa é a Callie! A garota não consegue ficar um episódio sem fazer algo sem noção e sem se preocupar com as outras pessoas e isso em tira do sério. O irmão dela é bem ingênuo ainda, mas já se mostrou mais maduro que a irmã (só amores pelo Jude ♥)! A Callie tem uma atitude meio revoltada na primeira temporada e que só foi amolecendo depois de muitos tapas da vida, mas mesmo assim ela ainda tem seus momentos de recaídas e acaba agindo sem pensar (e olha que já teve um episódio que ela assume que age sem pensar, mas continua fazendo a mesma coisa).

Mariana e Jesus: Acho fofo o modo de retratar os gêmeos, principalmente com toda a história da mãe por trás do que acontece. Logo no começo da primeira temporada você pode ver que a mãe biológica deles tenta entrar em contato com os dois, mas por ainda ser uma viciada em drogas, o negócio dela é pedir dinheiro pra comprar drogas. Eles tiveram pouco contato com a mãe, então muita das vezes acabam se fazendo de tontos pela mulher, mas fico extremamente feliz quando eles percebem a situação e fazem algo a favor. A Mariana tem um problema que ela ainda não entendeu que não precisa ser a loira da turma pra ser popular e que ela pode ser ela mesma e ao mesmo tempo ter a famosa atenção que deseja, mas isso ainda estamos trabalhando no fim da 2ª temporada. Já o Jesus é o famoso clichê da série: um garoto de 15 anos que ama esportes, sarado, pegador e nada estudioso... Obviamente, só por isso que eu disse vocês já devem imaginar como são seus plots na série, né?

Brandon: Eu ainda não me acostumei com a existência desse menino na série. Juro, até então está sendo desnecessário e eu não sentiria sua falta. Ele é o irmão mais velho e o famoso "homem da casa", só que as vezes ele leva isso muito à sério e no final do dia acaba em confusão. Mas apesar dos pesares, ele é um garoto bem fofo e que ama música clássica e fiquei meio triste com algumas coisas que aconteceram com ele e espero que na terceira temporada eu não me decepcione com o personagem.

Mike: O pai do Brandon, não vou negar, achei escroto mexxxxmo na primeira temporada, ou pelo menos no começo dela. No começo eu não entendi muito bem sua função na série e acabei achando que ele estava ali pra ser aquele personagem que odiaria ver sua ex com uma mulher e faria de tudo pra separá-las. Também acreditei que fosse um machista alcoólatra, o que eventualmente ele andou tendo umas atitudes do tipo, mas me enganei. Apesar das suas cenas no começo da série, ele vira totalmente os papéis e se torna essencial na segunda temporada! Enfim, estou feliz atualmente com seu papel na trama e espero que isso não acabe dando merda.
A série está no começo da quarta temporada então dá pra você pegar num final de semana e maratonar! Outra coisa, eu achei a série bem gostosinha de assistir, sabe? Aquele tipo de série que você vê quando não tem muito pra fazer mas acaba gostando! Então pra quem quiser treinar inglês, não terá problema ao assistir sem legendas. Sem contar que The Fosters é desenvolvido por Jennifer Lopez e se passa em San Diego (que se tornou minha paixão desde meu intercâmbio) ♥

E aí, o que acharam da série? Assistiriam? E se já assistiu, qual sua opinião? Comente!

Posts Relacionados

3 comentários:

  1. Socorro, adorei! Se eu não estivesse tão atrasadas na série que eu assisto eu ia começar agora mesmo huahua mas já entrou pra lista das que eu preciso assistir <3

    O fato de poder treinar o inglês me deixou mais ansiosa ainda pra começar. Ultimamente o meu tem piorado demais, e dá uma preguiça treinar "estudando" então ver série é ótimo huahua

    Beijos <3

    camilaland.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. já ouvi falar da série, quero muito ver mas to tentando colocar algumas em dia e começar outras que já estão na minha lista, mas depois desse post essa entrou total na lista.
    madrugadaestrelada.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Já ouvi falar dessa série, to doidinha pra ver, mas são tantas pra colocar em dia Livros, Amor e Mais

    ResponderExcluir